sexta-feira, 15 de março de 2013

Oficina de Psicomotricidade para Professores–Sugestões Psicomotricidade

(veja neste link: http://impactodapedagogiamoderna.blogspot.com.br/2012/06/dificuldades-escolares-e.html  quais as dificuldades que os alunos apresentaram por possíveis falhas na psicomotricidade – na escrita, leitura e raciocínio lógico matemático, que necessitarão destas estimulações apresentadas nesta Oficina 

Oficina de Psicomotricidade

SEAA – Serviço Especializado de Apoio à Aprendizagem

Pedagogas-Julia Virginia e Sandra Dantas

DSC04886  DSC04929 

DSC04897  DSC04901

 

DSC04903  DSC04909

DSC04913  DSC04927

ATIVIDADES DE ESTIMULAÇÃO - PSICOMOTRICIDADE

clip_image002

Atividades de estimulação – Esquema Corporal

Esquema Corporal: A criança localiza coisas, seres e acontecimentos a partir do conhecimento que tem do seu corpo e de se situar no tempo e no espaço.

Brincadeiras como: carrinho de mão, pedalar, andar descalço sobre areia, no tapete, em cascas de ovo cobrindo-as com um plástico fino para não machucar os pés, andar de joelhos, apanhar com a boca uma bala dependurada, fazer bolinhas com massa de modelar, parar de correr ao toque do apito; Exercícios de coordenação dinâmica como: levantar os braços e junto o joelho direito, depois trocar. Pular de um pé só, imitar um ritmo pré-estabelecido pelo professor, jogos cantados onde as crianças de duas em duas batem as mãos, (escravos de Jó), abotoar e desabotoar, enfiar miçangas. Pular de um pé só, colocar um objeto que não role(uma batata, por exemplo) em um pé da criança e pedir para andar sem deixar cair, jogar amarelinha;

2-Siga o Metre

clip_image004

Movimentação sob a forma de jogo- as ordens são mais ou menos complexas de acordo com o nível de conhecimento dos alunos e idade.

(as crianças em círculo, em pé).

O Mestre (no primeiro momento é o professor, depois um aluno) – pedes movimentos, pedindo que o imitem.

· “Estou com frio nos braços” - abraçar a si mesmo

· “Ai que dor!” (mãos na cabeça).

· “ Que coceira” (na perna)

4- “Abaixar a cabeça”, “levantar um braço”, “inclinar para frente”, “arraste os pés”, “tossir”, “espirrar”, “piscar os olhos”, “bater palmas” “pular com um pé só”,” pular com o outro”, “sorrir”, “dar gargalhadas” “fazer silêncio” (dedo indicador sobre os lábios"); a competição funciona assim: ganha pontos que fizer os movimentos (anotar na lousa) perde pontos quem perder algum movimento) isso vai exigir Atenção e concentração.

5-Ciências – trabalhar as partes do corpo e suas funções. Atividade escrita: desenhar o próprio corpo (se a criança já escreve – descrever a localização de cada parte: a cabeça fica em cima do pescoço, é redonda e tem cabelos...).

6- Trabalho em grupos: desfile de trajes típicos de cada região brasileira – após pesquisar os grupos escolhem o representante e este vai desfilar: usar chapéus, vestidos, botas, meias, adornos no cabelo, calças etc.. (esta atividade se adequa também aos 4º e 5º Anos)
(são várias atividades – use quantas puder e bastante variadas, para expressão corporal). 

clip_image006

Uso dos Bambolês

Os bambolês são usados em várias atividades e estimulam várias falhas da psicomotricidade além do Esquema Corporal.

Bambolês –  montar  percurso em sequência ou na forma de labirinto. Crie passagens secretas, trechos com larguras e alturas limitadas; estruturação espacial, limites, equilíbrio, atenção, concentração, domínio do esquema corporal, lateralidade, coordenação motora, domínio das relações espaciais, orientação, para frente, para trás, à esquerda, à direita, e a inclusão de pontos de referência.

Variações:

· Colocar bambolês no chão e colocar o número máximo de alunos dentro de cada espaço do bambolê. Ao comando “Coelhinho sai da Toca” todos mudam de bambolê; no segundo comando retira um bambolê, a criança que ficar de fora, sai do jogo e assim sucessivamente até fica um só bambolê e o que ficar dentro é o grupo ganhador.

· Deixar que os alunos façam movimentos giratórios nos braços, pernas, mãos, pescoço e cintura com os bambolês.

· Lançar a bola, de uma distância determinada, para que caia dentro do bambolê, e peça para que lance a bola novamente;

· Na frente da criança: dois bambolês (um mais perto dela e outro mais longe) e, em suas mãos, dois saquinhos de areia. Explique que cada um deve ser lançado dentro de um bambolê. Diga para não jogar os dois ao mesmo tempo. Aqui, o aluno vai perceber que poderá executar ações com um lado e o outro do corpo simultaneamente.

· - Deitar os bambolês presos em duas cadeiras grandes:((presos em uma cadeira) passar por baixo, por cima, pular… Lançar a bola, de uma distância determinada, para que caia dentro do bambolê. Afaste o bambolê e peça para que lance a bola novamente um lado e o outro do corpo.

2- Coordenações Motoras Amplas

Movimentos gerais de todo o corpo: correr, andar, abraçar, ajoelhar, dançar, bater palmas, pular, chutar, verbalizar...

Coordenação Motora Fina

Atividades:

Jogo “Pego Varetas”, “quebra-cabeças” com encaixe; enfiagem: colocar o cadarço no tênis, dar o laço;

colocar palitos no paliteiro pelos orifícios;

separar grãos diversos (macarrão, feijão...) fazer colares e pulseiras de grãos ou de papeizinhos enrolados (canudinhos), colares de havaianas (com flores e missangas

ou grãos, com asclip_image008 flores, já recortadas, em e.v.aclip_image010 bem fino, ou plástico colorido. clip_image012

Coordenação Viso-Motora

Bola ao Cesto  - Bola na Boca do Palhaço – Boliche

Improvise um cesto preso á janela: meninos contra meninas: coordenação visomotora (visomotora têm como finalidade o domínio de campo visual, associado à motricidade fina das mãos, dois elementos básicos para o grafismo, concentração, atenção, lateralidade, estruturação espacial, (em cima/ embaixo, dentro/fora, perto, longe, do lado…).

clip_image014 clip_image015

Lateralidade – Atividade

clip_image016 clip_image017

Andar sobre uma fita crepe colada no chão em linha reta equilibrando um objeto na cabeça: um livre uma bola de pano, uma fruta: desenvolvimento não somente do equilíbrio, mas da atenção e da concentraçã0.

Uma estratégia para a criança trabalhar a consciência de seu predomínio lateral para a direita e esquerda (lateralidade) e estabelecer as relações projetivas é através da estimulação tátil. Para tanto, sugere-se desenvolver as seguintes atividades lúdicas:

ESTA ATIVIDADE É ACONSELHÁVEL AOS ALUNOS MENORES – 1º e 2º Anos

O professor coordena a atividade levando os estudantes a dramatizarem um banho, lavando sua cabeça. Terão que fazer movimentos mímicos de passar o sabonete ou xampu com a ajuda da bucha, esfregando o couro cabeludo

. clip_image018

· O professor deverá solicitar ações como:

· esfregar o lado de cima da cabeça;

· esfregar a parte de trás da cabeça;

· esfregar o lado direito da cabeça;

· esfregar o lado esquerdo da cabeça;

Depois de esfregar com gestos mímicos a cabeça toda, devem se enxaguar e enxugar (previamente combinado todos levarão a toalha), podendo ser feita da seguinte maneira:

· enxugar todo o lado direito da cabeça;

· enxugar todo o lado esquerdo da cabeça;

· enxugar toda a parte da frente da cabeça;

· enxugar toda a parte de trás da cabeça.

Com a brincadeira do banho, é possível que os alunos iniciem o processo de construção da própria percepção corporal. O referencial inicial da criança é o próprio corpo, onde ela começa a construir o conceito de lateralidade.

Jogo Twister – divertido, competitivo, regras, limites, desafio, raciocínio lógico, atenção, concentração, tonicidade, esquema corporal e lateralidade:

Jogam os pares quem errar sai.

clip_image019 clip_image020

Localização e Orientação Espacial

Movimentações no Espaço

1.      Todos iniciam o jogo andando livres pela quadra, ao sinal do apito do professor formam, rapidamente, uma coluna com um aluno em  pé e outro agachado e assim sucessivamente até  final da coluna.

2.     As crianças voltam a andar livremente e ao sinal do apito do professor, formam uma grande roda, de forma que um fique com o corpo  virado para fora  da roda e o outro com o corpo virado para dentro, intercalando as posições.

3.     Enquanto os alunos andam, desenhe um quadrado no chão, e ao sinal do apito peça que todos entrem dentro dele. (Desenhe um quadrado menor do que o número de alunos da sua turma, para que eles precisem se “espremer” para entrar nele.

VARIAÇÕES:

1. Peça ás crianças que entrem no quadrado pulando com o pé direito, segurando o esquerdo  com a mão (tipo Saci-Pererê);

2. Faça vários desenhos no chão. Divida o grupo em pares. Distribua bolas para cada dupla. Ao sinal do apito cada criança joga a bola para o seu par, andando e jogando sem pisar nos desenhos e sem deixar a bola cair.

Raciocínio Lógico Matemático

Jogo da Velha Quebra Cabeças, Palavras Cruzadas, Dama, Dominó, Jogos de Dados, Bingos, (jogos de estratégias)... como, também, os jogos que vão exigir um raciocínio mais elaborado como o Xadrez.

Através de ábaco, tangram, sudoku e tantos outros jogos, crianças a partir dos seis anos, adolescentes e adultos podem estimular o funcionamento do cérebro e melhorar o rendimento na realização das suas atividades.

Passa-passa – jogo com toda a turma (4º e 5º anos)

O grupo é dividido em subgrupos de até oito alunos. O primeiro aluno recebe papel e lápis. Colocados preferencialmente em fila, o primeiro escreve uma sentença curta - de até sete palavras - na folha de papel e passa para o seguinte, dobrando a parte alta da folha, de maneira a não permitir que se possa ver o que está escrito. A folha é passada ao seguinte que deve, evidentemente sem ver a sentença escrita, imaginar a sua continuidade, escrevendo para isso outra sentença na mesma folha.

O processo é mantido até que todos os participantes do subgrupo tenham apresentado sua contribuição, sendo que a folha de papel se torna em uma sanfona.

As folhas de papel são desdobradas e cabe a cada subgrupo redigir um texto, e no máximo com até 10 palavras suplementares, procurando dar certo sentido às diferentes frases apresentadas. Será vencedor o subgrupo que apresentar maior lógica em sua história.

Questões para discussão:

Como foi realizar a atividade em sala de aula?

Quais as dificuldades encontradas pelos alunos?

O que auxiliou o trabalho dos grupos de alunos?

Como aconteceu a comunicação entre os grupos?

Como você avalia o trabalho em equipe da classe?

Observar se os alunos estão se integrando, se são criativos e como ocorre o trabalho em grupo.Tempo de aplicação: 30 minutos número máximo de pessoas: 32 clip_image022 clip_image023

Número mínimo de pessoas: 8

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada, Deuza, pela visita e pelo comentário. Volte outras vezes.
      Abraços e sucesso no seu trabalho.
      Júlia

      Excluir
  2. Parabéns pelo trabalho amei...

    ResponderExcluir
  3. Obrigad pela visita e pelo comentário. Volte outras vezes.
    Abraços e sucesso!.
    Júli

    ResponderExcluir

Não seja apenas um visitante que busca artigos interessantes, atividades que podem ser usadas em sua sala de aula. Deixe seu comentário.Uma sugestão. E o mais importante contribua com suas ideias, práticas e experiências de sucesso.Enriqueça este espaço, sem a sua participação, não haverá sucesso. E volte sempre.Obrigada