terça-feira, 30 de outubro de 2012

SOS–Avaliação Final : ainda dá prá mudar a situação ?

Avaliação, recuperação, aprovação
"Não é possível ser
construtivista na hora de ensinar e tradicionalista na hora de avaliar”, esse ponto a ser repensado pode diminuir o número de alunos da lista dos “antecipadamente reprovados”.
Alunos da lista de reprovação autoava - o que ainda dá prá fazer?

Os alunos já foram avaliados pelo professor. Uma auto-avaliação, individual ou em grupo, oral e/ou escrita pelos próprios alunos sobre suas dificuldades vai apontar, exatamente, “os que ainda não aprenderam”, que será o ponto de partida de novas ações.
Junto com os alunos: o que está ainda está faltando?  E realize a auto avaliação de acordo com a facilidade ou dificuldade de cada um em será solicitado a se expressarem sinceramente. Anote tudo(na lousa para ficar mais fácil para que eles próprios possam formar grupos: veja abaixo(1)): alunos e pontos a serem trabalhados. E analise bem os resultados, pois as condições de ajudá-los serão maiores.
1-Trabalhar dificuldades em grupos:


Envolva toda a turma. Forme 4 grupos: um grupo dos que só precisam avançar mais, e 3 outros  grupos que tem
grupodificuldades semelhantes. Deixe que escolham entre si as formações, por afinidades, os resultados serão maiores. Retome o conteúdo de forma diferente, use as diversas técnicas de trabalho em grupo: recursos áudios-visuais, revistas, jornais, trabalhe escrita, oralidade, expressões matemáticas e expressão artística, e apresentações á toda a sala (o tema deverá ser o mesmo). E deixe claro qual o objeto e o resultado que espera no final.
Distribuindo atribuições dentro dos grupos:

 Duplas: o que aprendeu melhor com o que não aprendeu, ou aprendeu em parte, as dúvidas de um  leva o outro á avançar mais. Subgrupos: com a finalidade organizativa, de acordo com as necessidades específicas, sempre com um participante que lidera e tem mais domínio.
 Individuais: as atribuições individuais dentro do grupo, provoca a autonomia e segurança com mais chance duplade resultados.
Organização das atividades para os grupos: O primeiro grupo terá atividades mais complexas (dentro do mesmo conteúdo. As atividades de um grupo deverá ser dentro de uma sequencia. Nunca a mesma atividade para todos os grupos. No momento da exposição, do resultado final, que seja na ordem. Sendo que o grupo de atividades mais complexas fará o fechamento.    
Duração de 1 hora, sem a necessidade de que seja todos os dias.
2- Remanejar os alunos na sala da seguinte forma:
No fundo da sala – os mais adiantados; no centro os que ainda necessitam de reforço, e na frente os que tem mais dificuldades. Durante as atividades percorra a sala, questione a maneira como estão realizando as atividades e permita que troquem idéias á esse respeito um com outro. Intervenção no momento da dificuldade e a escuta dos pares é uma receita que dá certo.

3- Reforço no horário contrário ás aulas
Pode-se obter grandes avanços com alunos que estão defasagem: por exemplo, alunos de 3º ano, séries iniciais, pré-silábicos ou alfabéticos. Se o professor se dispuser a retornar aos conteúdos não adquiridos das séries anteriores, vai ter alunos a menos na reprovação. Comprovadamente as chances são grandes.
4- Tarefa prá casa. Ajuda?
Ajuda como fixação de conteúdo que foram revistos em sala e exercitados e se houver alguém que possa tirar dúvidas, caso contrário, é tempo perdido. E quando se fala em casa, é preciso lembrar que se a família inteirada da situação do aluno, da necessidade de ajuda, não colaborar, a escola e o professor não obterão grande avanço com estes alunos.
Há casos de famílias que no final do ano querem a todo custo a recuperação do filho, pois não aceitam a reprovação e se propõem a pagar um reforço, por outro profissional da comunidade. Pode dar certo? Sim, se as dificuldades a serem trabalhadas forem as reais necessidades do aluno. É comum um educador ser contratado para um reforço e trabalhar atividades do livro da série cursada, quando se sabe que a maior dificuldade do aluno que está preste a ser reprovado está em conteúdos não dominados em séries anteriores. É recomendável que o professor deste reforço entre em contato com o professor da escola que o aluno estuda.
A recuperação pode dar certo?
Através de novas avaliações e análises do trabalho realizado; as participações, o interesse do aluno, dos resultados, se ele está seguro nas atividades: "É preciso acompanhar o avanço de cada um de perto e registrar todos os passos", recomenda Luckesi. E se ainda houver tempo torne a remanejar e no final vai haver resultados, com certeza.

Até o último suspiro, o professor tenta tudo que for possível, para não reprovar seu aluno!
Por: Julia Virginia de Moura
Pedagoga
Veja também no blog Impacto da Pedagogia Moderna:
Aprovar ou Reprovar? Fica sempre duvidas!
http://impactodapedagogiamoderna.blogspot.com.br/2012/10/aprovar-ou-reprovar-sempre-ha-duvidas.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não seja apenas um visitante que busca artigos interessantes, atividades que podem ser usadas em sua sala de aula. Deixe seu comentário.Uma sugestão. E o mais importante contribua com suas ideias, práticas e experiências de sucesso.Enriqueça este espaço, sem a sua participação, não haverá sucesso. E volte sempre.Obrigada